PSICANÁLISE

A psicanálise é um método criado pelo médico e neurologista austríaco Sigmund Freud (1856-1939), que tem como objetivo a investigação consistente e essencialmente em evidenciar o significado inconsciente das palavras, das ações, das produções imaginárias (sonhos, fantasias, delírios) de um sujeito. Este método baseia-se principalmente na associação livre do sujeito (verbalização dos conflitos inconscientes e significativos ao sujeito). Freud considerava a associação livre como a regra fundamental da psicanálise, essa técnica consiste em que o paciente expresse, durante as sessões de terapia, todas as suas ideias, emoções, pensamentos e imagens tal e qual se apresentam, sem restrições nem ordenamentos. A doutrina psicanalítica defende que os impulsos instintivos que são reprimidos pela consciência permanecem no inconsciente e afetam o sujeito. É importante ter em conta que o inconsciente não é observável pelo paciente: compete ao psicanalista tornar acessíveis esses conflitos inconscientes através da interpretação dos sonhos, dos atos falhados e da associação livre.

TRATAMENTO ESPECIALIZADO DA DEPENDÊNCIA QUÍMICA

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a dependência química é uma doença, e a inclui no seu Código Internacional de Doenças como incurável e progressiva e como tal, necessita de cuidados específicos e orientações adequadas. Tais orientações pode servir de referencial para a prevenção dos antigos esquemas de comportamentos patológicos e ajudar o sujeito a desenvolver melhor discernimento sobre os novos propósitos de vida. O tratamento Caring for Life (cuidando de vidas), é realizado pela profissional Fabiana da Silva, para aquelas pessoas dispostas a tratar a dependência de vícios de drogas licitas e ilícitas. Este tratamento é direcionado para aquelas pessoas em que a dependência ainda não atingiu todos os aspectos no sujeito, ou seja, ela mantém uma vida social, carreira profissional, estudantil e convívio familiar. Dessa forma, o sujeito em questão, pode tratar-se semanalmente, com dias e horários flexíveis, continuando sua rotina. O tratamento segue um programa específico, com pressupostos teóricos e base na Terapia Racional Emotiva, Entrevista Motivacional, psicoterapia, e acompanhamento fitoterápico a partir de produtos naturais, desenvolvidos especificamente para agir no processo de desintoxicação da droga no organismo do sujeito, auxiliando na abstinência, estabelecendo a o bem estar e funcionando como inibidor do desejo de consumo de substancias psicoativas, colaborando no controle da ansiedade. Outro fator importante nesse processo é o acompanhamento familiar, sendo a família “peça –chave” no tratamento, podendo os familiares colaborar de forma ativa no processo de reabilitação do paciente, colaborando no processo de reinserção social.

NEUROPSICOLOGIA

O que é Neuropsicologia? Conforme definição de Luria (1981), Neuropsicologia é a ciência que estuda a relação entre o cérebro e o comportamento humano. Em que consiste a Avaliação Neuropsicológica? A Avaliação Neuropsicológica consiste em uma investigação minuciosa das funções cognitivas, sensoriais, motoras, emocionais e sociais da pessoa, com o intuito de se identificar algum comprometimento funcional neurológico, bem como as áreas preservadas. Utilizando-se uma bateria de testes e procedimentos padronizados, analisa-se detalhadamente a relação entre o comportamento do indivíduo e o funcionamento de seu cérebro, a fim de auxiliar no diagnóstico, na compreensão da extensão das perdas funcionais, estabelecer tipos de intervenção específica e adequada, e desenvolver um plano de reabilitação. Sua atuação, portanto, é voltada para a avaliação e reabilitação de pessoas que apresentem alguma alteração cognitiva e/ou comportamental, associada às diversas patologias que afetam o sistema nervoso central. Aplica-se em crianças, adultos e idosos. As principais funções cognitivas são: inteligência, atenção, memória, percepção, linguagem, raciocínio, aprendizagem, velocidade de processamento, flexibilidade mental, habilidades visuo-construtiva, habilidades visuo-espacial, funções motoras e executivas. Em crianças, identifica-se, com certa frequência, alterações comportamentais e dificuldades na aprendizagem escolar, devido a vários fatores, como problemas de atenção, concentração, compreensão, memória, incapacidade para ler, para fazer cálculos etc. Também são comuns, em todas as idades, traumas, epilepsia, depressão, demência, doença de Parkinson, esquizofrenia, alteração de conduta, transtorno do desenvolvimento, déficit cognitivo pós lesões cerebrais decorrentes de traumatismos, déficit cognitivo pós Acidente Vascular Cerebral (AVC), déficit cognitivo pós tumores, déficit cognitivo pós meningo-encefalites, déficit associado ao alcoolismo e/ou às drogas, entre outras doenças neurodegenerativas. Nesses casos, é indicada a Avaliação Neuropsicológica. A importância da Avaliação Neuropsicológica reside no fato de se procurar identificar precocemente a presença de algum distúrbio, bem como o grau de sua evolução. Uma vez identificado algum prejuízo funcional, pode-se contribuir para a inclusão social da pessoa, por exemplo, desenvolvendo-se novas estratégias para lidar com as limitações apresentadas, minimizando-as.

AVALIAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

Como é realizada a avaliação neuropsicológica? A avaliação neuropsicológica (AN), busca investigar quais as funções cognitivas que estão preservadas e as que estão comprometidas. Através do uso de instrumentos (testes, baterias, escalas) padronizados para avaliação das funções cognitivas, o neuropsicólogo irá pesquisar o desempenho de habilidades como atenção, percepção, linguagem, raciocínio, abstração, memória, aprendizagem, processamento da informação, visuoconstrução, afeto, habilidades motoras e executivas. A avaliação neuropsicologica tem por objetivo coletar os dados clínicos para auxiliar na compreensão da extensão das perdas e explorar os pontos intactos que cada patologia provoca no sistema nervoso central de cada paciente. A partir desta avaliação neuropsicológica é possível estabelecer tipos de intervenção, de reabilitação particular e específica para indivíduos e/ou grupos de pacientes com disfunções adquiridas, genéticas, primariamente neurológicas ou secundariamente a outros distúrbios.

OBJETIVOS

-Caracterizar o funcionamento cognitivo do paciente (prejuízos e potencialidades); - Propiciar diagnóstico diferencial entre patologias; - Avaliar intervenções através de testagens pré e pós (medicamento, cirúrgias...); - Fornecer informações para a realização da reabilitação.

REABILITAÇÃO NEUROPSICOLÓGICA

A reabilitação neuropsicológica (RN), pode ser definida como um conjunto de procedimentos e técnicas que visam promover o reestabelecimento do mais alto nível de adaptação física, psicológica e social do indivíduo incapacitado (OMS,1980,2001,2002). Barbara Wilson (2009), uma das principais pesquisadoras e autora de inúmeras obras nessa área, descreveu a RN como um processo no qual o paciente e seus familiares trabalham na possibilidade de lidar melhor com as dificuldades cognitivas, emocionais, comportamentais e sociais resultantes de lesão cerebral ou quadro neurológico.

OBJETIVO

O objetivo do tratamento está associado à melhora de aspectos e atividades no contexto da vida do paciente, sendo que a abordagem proporciona aumento na motivação, da aderência do paciente ao tratamento e da possibilidade de generalização, ou seja transferência dos ganhos obtidos com as técnicas de reabilitação para a vida real. A reabilitação neuropsicológica engloba um conjunto de intervenções voltadas para problemas não apenas cognitivos, mas também emocionais, comportamentais, sociais e familiares. A Reabilitação neuropsicológica é realizada a partir do resultado da avaliação, posteriormente a essa é desenvolvido um projeto específico e singular para cada caso de acordo com resultados. O trabalho baseia-se em atividades e exercícios para estimulação das dificuldades, objetivando mudanças comportamentais e qualidade na vida funcional do paciente.
Visit Us On FacebookVisit Us On Instagram